Cinco maneiras de empreender na internet sem impulsionamento pago

Publicado por redator em

O ato de empreender no mundo digital vai muito além do investimento tradicional. Para ser bem sucedido nesta “empreitada” é necessário muito estudo, prática diária e conhecimentos bastante específicos.

Por incrível que pareça, existem maneiras de empreender na internet sem impulsionamento pago.

Antes de iniciarmos as dicas, precisamos compreender melhor o conceito de empreendedorismo. Empreender ou investir (termo mais antigo) não tem haver somente com valores em espécie.

É possível investir nas redes sociais sem gastar dinheiro em médio prazo.

Obviamente após obter resultados positivos, serão necessários ajustes que exigirão investimento em dinheiro.

Contudo, empresas com intenção de iniciar trabalhos, como divulgação ou vendas na internet, podem começar sem gastar nada.

O investimento de tempo é um dos investimentos mais valiosos que existem, como diz o velho ditado, “tempo é dinheiro”.

Por esta razão a palavra chave é estudo. É preciso conhecer os mecanismos da rede social que se deseja trabalhar, isso vai muito além de publicar e engajar.

Toda rede social possui um painel com as métricas, por exemplo.

Conhecer esses números é importante para conseguir um parâmetro de público.

Importante também é conhecer o público que acompanha o perfil do negócio, assim facilita a criação da estratégia para atingir o máximo de pessoas possível na rede.

Não adianta querer alcançar novos clientes se um perfil não consegue manter os que já têm em sua rede social. Redes sociais antes de tudo é relacionamento.

“Mas como se cria esse relacionamento?”, essa é uma pergunta pertinente e frequente. Nas redes não se vendem apenas produtos, se vendem relacionamentos, é sobre isso. 

Como empreender nas redes sociais sem gasto

 

Conteúdo 

É preciso saber criar conteúdos e que eles sejam bons. Publicar um produto com especificações e preço de um produto não é criar conteúdo.

As pessoas que usam redes sociais gostam de ser envolvidas, de alguma forma, sobretudo, conhecer pessoas e histórias.

Entregar ao público o que ele quer e deixar que a própria curiosidade dele faça com que ele queira criar uma aproximação com a empresa, é uma estratégia que converte muitas vendas.

Muita gente compra um produto para conseguir a atenção seja da pessoa que está sempre ali nos stories ou da empresa em si.

Em razão disto a importância do conteúdo deve ser priorizada.

Escrever as pautas e criar roteiros potencialmente envolventes são ações que demandam tempo para aprender. Mas não necessitam de dinheiro.

Ser criativo, criar um estúdio de criação de conteúdo em casa para trabalhar fora da empresa neste projeto também pode contribuir no crescimento do perfil empresarial.

Outras mídia


Uma publicação no estilo carrossel pode surtir mais efeito que um vídeo longo, por isso é necessário ter conhecimento mínimo em criação de arte.

Tirar um tempo para estudar a tabela de cores e como cada cor influencia na psicologia das pessoas é essencial para criar essas mídias, que podem ser muito úteis, principalmente para os dias em que não se tem muito tempo para gravar vídeos ou fazer fotos.

Publicar stories com o dia a dia da empresa é uma estratégia cativante, entretanto o profissionalismo nunca deve ser deixado de lado, na hora de publicar um stories com os produtos é importante que seja realizado um projeto de arte.

Storytellings (narração de histórias) também são interessantes, eles não precisam ser exatamente com vídeos falados, podem ser produzidos usando somente imagens, todavia a comunicação deve ser clara e convidativa.

Tudo é uma questão de projeto, no início pode parecer cansativo fazer projeto de publicação para todos os dias, mas com um tempo e resultado o publicador vai se adaptando e conseguindo recursos para contratar ajuda. 

Perfil

Deixar o perfil com um visual profissional é crucial, pois passa mais credibilidade para o público. A dica aqui é deixar publicações mais íntimas para o perfil pessoal e focar nos negócios.

No tocante ao Instagram, criar baners personalizados para o destaque, fazer uma biografia interessante com localização e que explique claramente qual é a principal proposta do perfil podem ser eficazes no sentido de profissionalizar o perfil.

O feed também precisa ser organizado. 

Engajamento 

Já que não estamos tratando de nenhuma celebridade, os perfis de empresas precisam se engajar com o seu público sim.

Inclusive, esta é a proposta das redes sociais, relacionamento. Essa relação não pode ser unilateral, em que somente a audiência curte e comenta o conteúdo do perfil.

As pessoas gostam de ser valorizadas e retribuídas, contudo é preciso ter cautela com exageros. Um erro que muitos perfis profissionais acabam cometendo é ignorar a audiência, isso resulta em graves consequências para um perfil, a queda de tráfego é a mais “nociva” para uma empresa. Uma vez que caiu o tráfego, caiu junto às vendas. 

Contextualização 

Tudo o que se vai publicar na internet no sentido de propaganda e publicidade precisa ser contextualizado. Não é muito inteligente publicar uma foto sem motivo aparente algum, aliás, pode soar até fútil.

As redes estão recheadas de conteúdos vazios, que podem até viralizar, mas será dentro de um tempo muito curto, o que não gera receita.

Esse tipo de conteúdo geralmente é publicado por pessoas com alguma fama.

Nem perfis profissionais de marcas mundiais cometem esse erro, nem novas celebridades como quem ganha em um reality show, por exemplo, ou mesmo um ganhador de loteria é insano o suficiente para “rasgar” dinheiro em campanhas vazias, não serão os pequenos “alecrins” que estão começando agora que devem fazê-lo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *