Terceirização, automação e as modernas locações de espaços

Publicado por redator em

Alguns empreendedores “das antigas” começam a conhecer agora as vantagens da terceirização e da automação comercial, sobretudo em países de terceiro mundo como é o caso do Brasil.

As novas tendências de primeiro mundo já apontam para outras novidades ainda mais ousadas e revolucionárias, como é o caso dos coworkings, das secretárias virtuais e do escritorio compartilhado.

Entendendo melhor a terceirização

Na terceirização o que se tem é o seguinte: o repasse ou transferência de uma alçada do processo empresarial para um terceiro, para uma empresa que se responsabiliza pelos colaboradores, em termos técnicos e jurídicos, como pelos resultados que deverão ser atingidos.

Geralmente os processos ou etapas que dizem respeito à terceirização não impactam diretamente na atividade principal da empresa, mas sim naquilo que se chama de atividade-meio.

Exemplos de terceirização remetem à parte de segurança, de limpeza ou de telefonia. Apesar de que mais recentemente as empresas têm, não raro, terceirizado até mesmo aquilo que diz respeito ao core business, isto é, ao núcleo do negócio.

Suas vantagens e benefícios dizem respeito aos seguintes pontos:

  • Otimização do tempo de trabalho;
  • Especialização dos serviços;
  • Terceirização da responsabilidade fiscal;
  • Terceirização da responsabilidade jurídica;
  • Atualizações técnicas constantes, etc.

O que é a automação comercial?

Já a automação comercial diz respeito a uma tendência bastante parecida com a da terceirização. Trata-se, por exemplo, de um recurso que também visa a reduzir os gastos e aumentar a produtividade, exatamente como no caso da terceirização.

A automatização, por sua vez, visa aplicar ferramentas e processos que automatizam a rotina dos colaboradores ou dos maquinários de uma empresa.

Ela sempre age por meio de duas frentes: a de hardwares, que remete a máquinas e equipamentos, e a de software, que remete a sistemas e programas.

Atualmente, há uma infinidade de funções que são delegadas a esses sistemas automatizados, o que reduz o risco de lentidão nos processos e de erros humanos.

A famosa contadora e classificadora de moedas é um exemplo clássico. Trata-se de uma máquina pequena, que cabe em cima de qualquer balcão. Basicamente, o que ela faz é realizar a contagem de moedas, acusando no seu painel digital qual o valor total que foi despejado no dispositivo.

Depois disso, ela realiza a divisão dos tipos e valores de moedas em sessões distintas, bastando ao operador que realiza a supervisão da máquina apanhar o material separado.

Não é preciso dizer que a margem de erro da máquina é zero, ao passo que um ser humano após trabalhar horas na mesma dedicação estaria suscetível a cansaço e possíveis erros. Além disso, a máquina realiza a contagem e a classificação muito mais rápido do que um ser humano, operando seus processos em questão de segundos, com o uso de lotes de moedas.

Além disso, as máquinas de automação comercial costumam emitir laudos e relatórios do trabalho que vão realizando, caso em que são anexadas a impressoras térmicas e similares

. Seguem abaixo os processos mais comumente automatizados:

  • A contagem de moedas e de cédulas;
  • O controle de estoque: entradas e saídas;
  • O controle de estoque: devolução e transferência;
  • O controle logístico de produtos e volumes;
  • O controle de acesso de pessoas e carros;
  • As emissões fiscais e documentais, etc.

Os coworkings e os escritórios virtuais

Conforme supracitado, a parte de locação de espaços físicos é uma das que mais apresenta novas tendências de mercado. Atualmente, vai-se muito além das antigas opções de salas e escritorios para alugar, conforme ficará claro adiante.

Um ótimo exemplo é do coworking fashion. Trata-se de um tipo de serviço compartilhado, em que o contratante divide estações de trabalho, sinais de internet e áreas comuns como toaletes e copas de cozinha com os demais contratantes do serviço.

No caso do mercado da moda, o que se tem é um compartilhamento mais específico, em que a estrutura típica de uma indústria têxtil é um pressuposto da locação, que deve dispor do maquinário necessário aos profissionais da área.

Esse serviço está intimamente ligado ao da locação de escritório virtual, caso em que o empreendedor nem sequer chega a dividir o local físico, mas conta com os serviços de uma secretária que atende ou representa várias pessoas jurídicas no mesmo local, dando-lhes todo suporte de atendimento telefônico e de correspondência.

Em todos os casos sobreditos, finalmente, as vantagens desses tipos inovadores de locação e compartilhamento saltam aos olhos e fazem lembrar bastante a lógica da terceirização e até da automatização.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *