Saiba tudo sobre impressora 3D

Publicado por redator em

Você já ouviu falar da impressora 3D? Essa tecnologia maravilhosa e moderna já é realidade e tem auxiliado as pessoas nas mais variadas frentes, criando objetos diversos desde alimentos, peças decorativas, a itens com viés profissional. Mas, como funciona a impressora 3D? Esse equipamento de “prototipagem rápida” funciona através do estabelecimento de diversas e sucessivas camadas de material que cria por fim, um produto tridimensional.

Existem alguns passos para que a impressão seja feita, entre eles, alguns são os seguintes:

  • Escolha do programa de modelagem.
  • Modelagem: os modelos podem ser criados através de programas de modelagem 3D, ou em digitalizações de três dimensões. Há também a oportunidade de utilizar um modelo pronto e simplesmente imprimi-lo. Como a criação manual é muito complicada, empresas de modelagem e de impressoras têm atuado cada vez mais no mercado de impressão em 3D.
  • Escolha do material a ser usado.
  • Material para impressora 3D: existem diversos materiais, ou seja, diversos tipos de filamentos para impressoras 3D e suas impressões, como os polímeros termoplásticos de 1,75 a 3mm; os filamentos PLA, de ácido poliláctico (que são sustentáveis, produzidos de fontes renováveis não nocivas à saúde ou ao meio ambiente quando descartados), de tons vibrantes e indicados para peças técnicas e peças grandes, por serem pouco concentrados. O ABS é um famoso material, altamente utilizado nas indústrias, pela resistência à temperatura e a boa absorção de impactos; em oposição ao PLA, é bem mais opaco e, assim, utilizado quando se precisa de menos brilho nas cores dos materiais. O mais nobre material é o filamento PTEG. É resistente a químicos, à temperatura e assim, é de impressão muito fácil. É basicamente a facilidade de impressão do PLA aliada às qualidades do ABS.
  • Impressão: a máquina lê o arquivo *STL e começa a sobrepor camadas de líquidos, pó e folhas em seções transversais. Essas camadas, advindas do modelo de CAD (Computer Aided Design) possibilitam a criação das mais variadas formas geométricas. A impressão sempre parte do nada, criando o objeto a partir da justaposição de camada sob camada.
  • Aguardo: dependendo do tamanho das peças, o processo pode levar de minutos a horas.

Antes de uma impressora 3D comprar, existem alguns pontos aos quais você deve estar atento para fazer o melhor negócio. Ainda é algo muito novo, então é comum que existam dúvidas acerca da melhor impressora 3D para se comprar: modelos, custos de filamentos e características técnicas entram nessa lista. Assim sendo, um dos pontos a se tomar nota é a área de impressão, isto é, o tamanho (em largura, altura, profundidade) das peças projetadas que serão criadas.

Outro ponto é o da tecnologia da impressão. Um item que já foi expandido, é a questão do filamento impressora 3D a ser utilizado: deve-se escolher sabiamente o que mais agradar e que for mais compatível com o resultado esperado. Outros elementos importantes são: procedência, precisão dimensional e número de extrusores (que permite a impressão em mais de uma cor, simultaneamente). Seguindo essas dicas, será possível comprar a impressora 3D profissional que mais satisfaça o seu gosto e seus objetivos

Considerações finais acerca das impressoras 3D

Perguntas que devem ser feitas sempre: “para que serve a peça criada?”, “ela suportará as condições às quais ficará exposta?”, “qual o custo da criação desta peça?”.
Como muitas coisas no mundo, deve-se pensar no dinheiro envolvido nos processos de criação dessas peças. Para prevenir possíveis gastos excessivos, é bom se atentar ao trabalho de acabamento, insumo, tempo de impressão, gasto de energia, desperdício e margem de lucro.

Assim sendo, torna-se mais fácil o entendimento dessa novidade: rápidas, pouco tóxicas e com produtos podendo ser reutilizáveis, as impressoras 3d fazem parte de um futuro que já chegou.

Uma vez que os equipamentos que antes utilizados apenas por grandes empresas custavam uma fortuna, hoje já vem reduzindo os preços e aparecendo no mercado de formas mais acessíveis. A invenção que tem mais de 30 anos mas, que pela modernidade ainda parece tão recente (e é claro, por ser sempre inovadora) já auxilia na produção de itens como próteses, instrumentos e até materiais de construção e casas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *