O que é o conceito de Gig Economy?

Publicado por Parceiros em

A Gig Economy está cada vez mais presente no cenário global e tem mudado a forma de trabalhar e de ganhar dinheiro. Saiba mais!

Atualmente, as pessoas ganham dinheiro das formas mais inusitadas possíveis: através da produção de conteúdo online e da prestação de serviços freelancers, por exemplo. É possível até mesmo ganhar dinheiro jogando.

A inovação tecnológica permitiu esse tipo de novo modelo econômico, que é mais conhecido pelo seu nome em inglês, Gig Economy.

A gig economy tem diversas particularidades que a diferencia dos modelos econômicos tradicionais. Por isso, ela pode ser mal compreendida por algumas pessoas.

Sendo assim, decidimos trazer um artigo completo, mostrando os principais pontos desse modelo de economia e como ele tem trazido mudanças no nosso modo de vida.

O que é Gig Economy?

A gig economy é o nome dado a um novo modelo econômico que vem mudando drasticamente a forma de trabalho ao redor do mundo. Segundo esse novo conceito, não há vínculo empregatício tradicional, e o profissional atende apenas demandas pontuais de empresas e pessoas físicas.

Ou seja: é um modelo econômico mais voltado para a prestação de serviços eventuais, ao invés do modelo tradicional com empregados com carteira assinada.

Esse modo já é muito conhecido por profissionais autônomos, mas cada vez mais áreas têm adotado esse modelo de trabalho, como as áreas de programação, design, entregas de produtos físicos e motoristas particulares.

As inovações tecnológicas, como a criação de aplicativos e marketplaces de contratação de profissionais, foi um dos grandes responsáveis por esse tipo de mudança no ambiente de trabalho.

Como funciona a Gig Economy?

A gig economy consiste em um modelo em que empresas ou pessoas contratam profissionais para demandas específicas, sem a construção de um contrato de trabalho com carteira assinada.

Assim, assina-se um contrato temporário e o serviço é prestado. No fim do contrato, o profissional está dispensado e continua a procurar outros clientes.

Vale notar, entretanto, que o profissional não está preso a apenas um cliente: é comum que freelancers trabalhem com 2 ou mais clientes de uma só vez.

Esses trabalhadores são pessoas que, seja por opção ou necessidade, preferiram sair de suas empresas e atuar de forma autônoma, com uma relação de trabalho mais dinâmica.

Ao mesmo tempo, as empresas preferem contratar profissionais para demandas pontuais ao invés de estabelecer uma relação de trabalho. Isso tudo gera um ambiente em que esse modo de trabalhar torna-se cada vez mais comum.

Empresas que usam o modelo de Gig Economy

As áreas que possuem um maior crescimento nesse modelo econômico são as relacionadas à tecnologia. Assim, serviços de programação, design, marketing digital, transportes e entregas são os que se destacam.

Entre as empresas que mais se destacam, vale citar a Uber e a 99, duas companhias de transportes. Motoristas podem se registrar e pegar corridas para levar passageiros e, em troca, ganhar dinheiro com isso.

Além disso, é possível citar aplicativos de entregas, como Rappi e iFood. O aplicativo liga restaurantes e lanchonetes a clientes, e esses lanches são levados por entregadores que recebem por esse serviço.

Também é possível citar o Airbnb, que consiste em uma plataforma em que uma pessoa pode oferecer sua casa para alugar diretamente ao interessado, sem passar por alguma empresa intermediária, como imobiliárias.

Por fim, é possível citar empresas de contratação de serviços, como Fiverr, Workana e 99Freelas, que permitem que contratantes achem profissionais que possam resolver suas demandas.

Formas de ganhar dinheiro na Gig Economy

Existem diversas formas de ganhar dinheiro através da gig economy. A primeira que surge na cabeça de muitas pessoas é o trabalho em aplicativos de terceirização de serviços, como iFood ou Uber.

De fato, muitas pessoas preferem sair de seus trabalhos convencionais para trabalhar em serviços de motorista particular e outros, pois isso permite uma maior flexibilidade de horários e ganhos mais elevados.

Mas há outras formas, como o uso de sites de freelancers  — por exemplo, o Workana ou o Fiverr — para prestar serviços aos outros. As áreas de design, contabilidade, redação e programação são exemplos de profissionais que utilizam essas ferramentas.

Também é possível encontrar clientes para seus serviços através das redes sociais. Cada uma tem um público e uma forma de abordagem diferente, então é preciso estudar qual é a mais apropriada para o seu setor.

Por fim, uma maneira de ganhar dinheiro com a gig economy, que tem se tornado forte nos últimos anos, é com os jogos online, como Axie Infinity, Cash Pirate, appKarma e outros.

É possível ganhar dinheiro jogando e ter uma renda através desses tipos de jogos, algo impensável no passado. Alguns jogos são gratuitos e outros precisam de dinheiro para começar, mas há opções de jogos de todos os tipos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *