Equipamentos de segurança devem seguir normas regulamentadas

Publicado por redator em

A segurança do trabalho é parte primordial dos ambientes de trabalho principalmente quando os setores ficam estabelecidos em fábricas e indústrias.

É claro que há outras profissões que precisam do uso de equipamentos de proteção individual e coletiva e, por isso mesmo, as normas de regulamentação de segurança do trabalho precisam ser implementadas por equipes especializadas que podem identificar e apresentar soluções adequadas a cada cenário.

A formalização de uma equipe de segurança do trabalho, representada por diferentes profissionais, que atuam nos diversos setores de uma empresa, tem essa responsabilidade.

O conhecimento técnico de um profissional da segurança do trabalho pode ser complementado pela atuação de um operador de máquina, por exemplo.

EPIs e normas de segurança

A disponibilização de normas de segurança, por meio de informativos, e sinalizadores e controles de acesso, em todo o espaço físico, também é uma forma de manter toda a equipe de trabalho segura.

A obrigatoriedade do uso de EPI segurança, para cada indivíduo nos diferentes espaços de trabalho, é uma forma de garantir a segurança dos funcionários.

O fornecimento dos equipamentos de segurança individual deve ser de responsabilidade do empregador.

Manter os equipamentos em ordem, com as funcionalidades a qual foram destinados, é responsabilidade do usuário.

Caso algum equipamento apresente qualquer tipo de falha, ou desgaste natural pelo uso constante, é preciso solicitar à gerência a troca imediata, para garantir a segurança durante todo o período de trabalho.

Para os funcionários que trabalham em ambientes externos, relacionados a serviços realizados nas alturas, é preciso que os equipamentos fornecidos sejam eficientes quanto ao uso para ponto de ancoragem nr 35, garantindo a fixação em pontos fixos, e que permitem a realização do trabalho de forma segura, evitando qualquer tipo de queda.

São utilizados equipamentos variados para esse tipo de tarefa e, por isso, é preciso que as empresas fiquem responsáveis pelo fornecimento de:

  • Andaimes com plataforma para movimentação;
  • Linhas de vida anexadas ao corpo;
  • Cadeiras de sustentação elevada;
  • Escadas móveis e estilo marinheiro.

Conforme estabelecido pela norma regulamentadora 35, todas as medidas de proteção para a realização dos trabalhos devem estar presentes a partir do momento de organização até a execução final.

Esse tipo de conduta reduz o risco de acidente, além de padronizar o procedimento administrativo, com a implantação de medidas que previnem qualquer tipo de acidente.

O uso de equipamentos é obrigatório, quando o serviço é realizado em ambientes que apresentem mais de doze metros de altura, ou em pavimentos com mais de dois metros de altura.

Para ter esses equipamentos à mão, as empresas devem contar com a parceria de uma distribuidora de EPI que garanta a qualidade dos produtos, pois trata-se do cuidado com a vida humana.

Essa parceria também garante o fornecimento a qualquer tempo, para que possa estar dentro do planejamento das empresas que trabalham em áreas de risco.

A substituição do equipamento, quando necessário, também pode ser realizada por meio de contratos regulamentados, para que as normas regulamentadoras possam ser aplicadas de forma contínua.

Proteção da cabeça aos pés

As botinas para trabalho e os capacetes são equipamentos de segurança individual muito importantes, em qualquer ambiente.

Eles garantem a proteção da cabeça aos pés, contra objetos cortantes, ou mesmo ferramentas pesadas, que podem acabar ferindo um trabalhador, se não estiver devidamente trajado.

Muitos calçados contam com uma biqueira de aço, que protegem os dedos dos pés, pois é uma das partes mais sensíveis do corpo humano, e pode ser afetado, caso ocorra qualquer tipo de acidente.

O capacete epi protege a cabeça dos trabalhadores, e também é obrigatório em diferentes setores da indústria e do comércio.

Composto por duas peças, o casco externo e a coroa interna, alguns equipamentos também possuem protetores auriculares e máscaras para proteção do rosto.

Para diferenciar os vários cargos dentro de uma empresa, é possível identificar os profissionais por meio das cores do capacete de segurança epi.

Por proporcionar maior visibilidade, o amarelo é o mais utilizado em fábricas e canteiros de obras.

O capacete cinza identifica arquitetos e engenheiros. O branco é para o mestre de obras e seus encarregados.

O pedreiro utiliza o capacete azul, e o verde é para serventes e operários. Marceneiros trabalham com o capacete vermelho na cabeça.

Com uma composição de material diferenciada, o eletricista tem a cor laranja como identificação profissional.

O capacete preto é destinado ao técnico em segurança do trabalho, e o marrom fica na cabeça de visitantes.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *