Dicas para melhorar o controle dos seus funcionários

Publicado por redator em

Para que um empreendimento tenha uma performance satisfatória, sem dúvidas, é preciso que exista atenção com diferentes áreas. Nesse cenário, um fator comum é a organização, por exemplo, no controle de jornada e acesso dos colaboradores.

Essa é uma maneira de evitar transtornos devido à falta de informação e, até mesmo, de garantir a segurança de todos.

No caso do controle de acesso, sua relação com a proteção do patrimônio e funcionários é mais direta, uma vez que estabelece formas padronizadas para acessar o local.

As empresas de controle de acesso podem ser procuradas tanto para implantar dispositivos na entrada principal quanto para locais específicos, sendo este o caso de corporações que contam com áreas restritas.

É algo muito comum, principalmente em corporações de grande porte e/ou que lidam com materiais sigilosos ou nocivos.

Quais são os tipos de controle de acesso?

Há possibilidade de incorporar opções inovadoras, com recursos tecnológicos avançados para proteção, porém, tudo dependerá do investimento a ser realizado e exigências de cada empresa. Entre as principais alternativas encontradas, é possível citar:

  • Cartões de proximidade;
  • Biometria;
  • Portaria remota;
  • Senhas.

Já ao se tratar do cartão RFID 125khz, é uma opção que funciona por rádio frequência. No caso do sistema RFID, além do cartão que contém a etiqueta com os dados a serem transmitidos e o circuito, há o leitor para proximidade e um transceptor, que detecta o sinal.

As ondas de rádio frequência são modificadas para dados digitais, que podem ser detectados por equipamentos específicos para que determinada ação seja realizada.

Por esse motivo, o cartão de proximidade 125 khz, assim como outros modelos, apresenta grande visibilidade.

O controle de acesso por leitura biométrica requer a impressão digital e por isso, exige um cadastro das pessoas autorizadas. É um meio prático e amplamente empregado em locais de alta segurança.

A portaria remota, também nomeada de portaria virtual, corresponde a um grupo de atividades realizado à distância, que substitui a presença física do porteiro. Esse sistema, muitas vezes, é constituído por câmeras, interfones e sensores de presença.

Já no caso das senhas, podem ser consideradas uma das opções mais tradicionais, principalmente para áreas restritas.

Existem equipamentos em que cada pessoa autorizada possui uma senha e outros em que há somente uma.

Nessa última situação, é interessante que exista a troca regular para garantir a segurança, pois o principal ponto desse sistema é que de fato a combinação fique em segredo.

O que é certificado digital?

Além de estabelecer formas de controle na entrada e saída dos ambientes, nos meios digitais recursos podem ser aplicados para atender essa proposta.

Este é o caso do certificado digital, que basicamente corresponde a uma identidade eletrônica para empresas e indivíduos.

É uma forma prática de assinatura em documentos, pois viabiliza a assinatura digital. É um meio de garantir a autenticidade em diferentes transações, com a identificação precisa dos usuários e por isso é uma forma de controle eficiente.

As tecnologias empregadas nos certificados podem variar de acordo com a necessidade de armazenamento, validade e criptografia.

Por exemplo, o A1 é preservado em um computador e sua validade é expirada caso a senha seja digitada errada diversas vezes ou ocorra a perda do equipamento.

Já o A3 pode está presente em diversos locais, como em um pendrive, tokens e cartões, o último caso exige o leitor para cartão certificado digital. Nesse caso, a validade também é superior, sendo cerca de 3 anos.

Por que usar uniformes nas empresas?

Os uniformes corporativos vão além de uma forma de padronizar o vestuário, pois potencializa a identidade da marca e a integração dos colaboradores.

Para que o uso seja efetivo, é preciso escolher peças que alinhem a estética e o conforto, o que envolve as cores, tecidos e modelos.

No caso de calça de uniforme feminino, a visibilidade do brim é notória, mas o tipo de atuação do profissional deve ser considerada e embora seja um tecido durável e satisfatório para processos operacionais, para posições mais formais opções como o tricoline podem ser selecionadas.

A segurança também deve ser considerada, principalmente ao se tratar de profissões que envolvam ambientes nocivos.

Sendo assim, a camisa ou calça para uniforme devem atender a modelagens compatíveis com cada áreas e quando for o caso, com as normas vigentes.

Com os recursos apresentados, o controle e diversos aspectos nas empresas podem ser otimizados. Para isso, é preciso que os empreendedores busquem sempre o planejamento mais adequado para uma gestão eficaz.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *