Confira alguns cursos curiosos

Publicado por redator em

Com o aumento das pequenas e médias empresas, se fez necessário ter profissionais mais especializados e capacitados, não somente nos seus assuntos de interesse ou área de atuação.

A Segurança do Trabalho, por exemplo, é uma área que nem sempre está presente em empresas destes portes.

É importante que a companhia tenha um projeto de combate a incêndio, com profissionais treinados para agir nestas situações.

A lei Federal nº 13.425 de 2017 estabelece as diretrizes sobre medidas de prevenção e combate a incêndio e a desastres em estabelecimentos, edificações e áreas de reunião de público.

A criação dessa lei foi motivada pela tragédia ocorrida na Boate Kiss em janeiro de 2013, em que um incêndio atingiu o local em que estavam presentes jovens universitários.

Houve, então, a necessidade do aprimoramento para que a companhia tenha alguém que possa fazer um resgate, por exemplo, em situações de emergência.

Um destes cursos é o de Projetos de Prevenção e Combate a Incêndio, em que o aluno toma conhecimentos referentes aos regulamentos de segurança contra incêndio.

E tem a aplicação prática das principais medidas de segurança e conhece um pouco sobre os sistemas de prevenção e as medidas de proteção passivas e ativas.

É abordado ainda conhecimentos sobre o acesso de viaturas na edificação, resistência ao fogo, compartimento, iluminação de emergência, alarme de incêndio, sinalização de emergência, extintores e sistema de hidrante.

Além disso, é essencial que a empresa tenha algum socorrista e que saiba algumas técnicas de primeiros socorros para o caso de emergências.

O bê-a-bá do socorro

Para estar apto a socorrer qualquer pessoa, é imprescindível um aprimoramento na área, ainda mais quando se trata da saúde e vida de outro ser humano.

O curso de socorrista tem essa finalidade: habilitar as pessoas para o atendimento emergencial a diferentes vítimas nas mais diversas situações, sendo possível agir de forma segura e eficaz até a chegada do serviço médico de emergência.

O curso de socorrista visa capacitar a pessoa para que ela possa ter acesso à vítima de qualquer tipo de acidente, identificar o que está acontecendo e providenciar a assistência de emergência necessária.

Cabe ao socorrista controlar o local do acidente, proteger a si mesmo além da vítima, prevenir outros acidentes, identificar o que há de errado com o paciente.

Se baseando nas informações obtidas no local, pelo exame físico do acidentado, relatar todas as ações feitas ao serviço médico de emergência e auxiliá-los no atendimento, trabalhando de acordo com as orientações.

Caso de vida ou morte

Os primeiros socorros são de extrema importância, pois dependendo do tipo de situação, se a vítima não tiver um prévio atendimento, ela pode correr risco de vida. Por isso, se faz necessário o aprimoramento em primeiros socorros.

O curso cpso propõe preservar a vida da vítima, prevenir lesões adicionais, promover o conforto do acidentado, manter a segurança durante o atendimento das emergências para prevenir um novo acidente, transportar com segurança e rapidez para o hospital.

Este curso tem também como objetivo atender à Norma Regulamentadora NR7, em que toda empresa deve manter um colaborador treinado para manipular o material de primeiros socorros.

Bem como conhecer os procedimentos de socorro, reconhecer uma situação de emergência, sua gravidade e prestar os cuidados imediatos necessários ao atendimento correto dos diversos agravos à saúde.

Não é necessário ser da área da saúde para procurar pelo curso. Muitas empresas elegem alguns colaboradores que atendem ao perfil de socorrista para serem treinados e poder agir em situações de emergência. Para ser esta pessoa, deve-se:

  • Conhecer o básico de primeiros socorros;
  • Ter iniciativa e senso de observação;
  • Possuir autocontrole, ser calmo e ter autoconfiança;
  • Ter habilidade manual;
  • Saber o que e como fazer;
  • Ter bom senso e conhecer as próprias limitações.

No treinamento primeiros socorros, o aluno verá temas como a legislação pertinente, abordagem da vítima, análise de cenários.

Liberação de vias aéreas e desobstrução, estado de choque, convulsões, infartos, ferimentos e hemorragias, fraturas e imobilização, queimaduras, engasgamento, emergências clínicas e manobras de reanimação.

Geralmente, as aulas são teóricas e práticas, permitindo a vivência do aluno.

Não basta ser apenas curioso: os cursos devem ser eficientes e trazer casos reais e cotidianos para capacitar os colaboradores a agir em situações de emergência.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *