5 passos para investir em Ecommerce no seu empreendimento

Publicado por redator em

Seja você já é dono de um empreendimento ou é uma pessoa que tem apenas o sonho de ter o negócio próprio, investir em Ecommerce pode ser uma ótima opção.

Só no Brasil, a previsão é de que em 2019 o comércio eletrônico ultrapasse o faturamento dos R$ 79,9 bilhões de reais, tendo um crescimento anual de 16%, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).  

Mas, nada adianta abrir um negócio online, se você não tiver a expertise para fazer com que ele dê certo…

Neste artigo, nós vamos te mostrar dicas do que você precisa fazer para investir em um Ecommerce no seu empreendimento.

Isso porque, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, administrar um comércio eletrônico não é tão simples e, sem conhecimento, você pode rapidamente chegar à falência.

1) Estude o mercado

O primeiro passo para investir em Ecommerce é entender como seu mercado funciona no meio virtual. Ao contrário do que muitos pensam, a logística de uma loja física e uma virtual são completamente diferentes.

Portanto, não adianta aplicar as mesmas estratégias usadas no seu atual empreendimento na versão online, pois elas são braços diferentes de uma mesma empresa.

Você precisa acompanhar assuntos ligados ao seu mercado, estudar sobre o seu nicho, entender o comportamento do seu público-alvo e analisar como estão seus concorrentes.

Esta pesquisa vai te auxiliar a anunciar seu produto, você vai entender qual a demanda do seu nicho e como se comunicar com seus consumidores em potencial.

Por exemplo: O Bruno de Oliveira é empresário e Fundador do Ecommerce na Prática, mas, para chegar ao sucesso, ele precisou se tornar expert em Ecommerce. Assim, ele se mantém constantemente atualizado sobre o mercado, e hoje, é considerado o maior especialista em Ecommerce do Brasil.

Assim, se você não dominar a área que você atua, certamente, vai aparecer alguém mais bem preparado para tomar seu lugar.

2) Entenda as leis

Independentemente do tamanho do seu negócio, existem leis específicas para empreender no ambiente digital e entendê-las é essencial para o funcionamento do seu Ecommerce.

Alguns pontos de destaque são:

  • Fornecer a descrição detalhada sobre os produtos, como o cliente não pode provar o produto, é necessário que você forneça dados suficientes para que ele consiga efetuar a compra sem risco de erro;
  • Informar as formas de pagamento disponíveis, além dos prazos de entrega e quaisquer despesas ou taxas adicionais que possam existir durante a compra;
  • Discriminar informações sobre a sua empresa como: CNPJ, Endereço Físico, Razão Social e telefone para contato;
  • É necessário que você apresente ao cliente um resumo da compra no carrinho, oferecendo a possibilidade de excluir itens;
  • Condições de troca e devolução e a confirmação da compra devem também estar visíveis para o cliente.

Além disso, a lei exige que seja oferecido atendimento ágil e prático ao cliente durante, pelo menos, 7 dias após a compra e também que este tenha direito de cancelar a compra e ter o dinheiro estornado, sem pagar nada por isso.

3) Escolha uma plataforma

A plataforma é a base da sua loja, seu cartão de visitas.

Por exemplo: Se você quer comprar uma blusa, mas o site é confuso e complicado de mexer, é bem provável que você desista da compra e procure outra loja, né?

Por isso, é essencial que você escolha uma plataforma que seja intuitiva e atenda às necessidades do seu público.

Atualmente, se você deseja investir em Ecommerce, é importante que você invista também numa plataforma responsiva, ou seja, que se adapte às diferentes telas de celular, computador, tablets e smart tvs.

4) Meios de pagamento e entrega

Esses são os pré-requisitos básicos antes de abrir qualquer negócio.

Se você não tiver boas opções de pagamento, não fatura e de nada adianta abrir um empreendimento.

Investir em Ecommerce não é diferente. Os dois meios de pagamento mais usados no comércio digital são o boleto bancário e o cartão de crédito.

Sendo assim, é muito importante que você tenha ambas as opções, para não correr o risco de perder alguma venda.

Mas, antes de escolher o melhor intermediador de pagamento para o seu negócio, você precisa analisar fatores como tempo de repasse, tempo de aprovação e a tarifa de cada opção.

Além disso, é importante pensar em como o produto vai chegar à casa do cliente.

Ao contrário de lojas físicas, que o cliente entra, escolhe o produto, paga e já o leva para casa, no meio virtual, você precisa enviar o produto para a pessoa que o comprou.

Seja através do Correios ou de transportadora, é importante escolher uma opção que você saiba que o produto vai chegar no tempo determinado e em bom estado.

5) Atraia pessoas

Então, você estudou sobre o mercado, escolheu, montou seu negócio virtual, mas mesmo assim sente que ainda falta algo…

Faltam pessoas! Faltam clientes entrando na sua loja!

Afinal, sem clientes, você não fatura.

Mas, como você consegue movimentar seu site?

Simples: Você precisa atrair pessoas. E qual jeito melhor do que usando as redes sociais?

Hoje, os brasileiros passam cerca de 3 horas e meia nas redes sociais e não usar este meio para promover seu negócio é perder dinheiro.

Se você pensa em investir em Ecommerce, precisa investir também nas redes sociais.

Veja como seus concorrentes atuam nas mídias, use o conhecimento sobre seu público para se comunicar com ele e atrair sua atenção.

Com o tempo, sua presença nas redes vai aumentar e, consequentemente, o número de compras no seu site também.

 

Este artigo foi produzido pela equipe de Conteúdo da escola Ecommerce na Prática, especializada em ajudar pessoas a criarem e alavancarem negócios de Sucesso na internet.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *